2020 foi um ano de desafios, adaptações e sacrifícios.

Apesar de tudo, nunca deixámos de estar ao lado de quem nos faz crescer e nos estimula a fazer melhor todos os dias: os nossos clientes.

A equipa DIN não parou de trabalhar para oferecer sempre as melhores soluções nutricionais e laboratoriais.

Neste vídeo em que passamos em revista o ano de 2020 da DIN, “damos-lhe” um pouco de nós e agradecemos por estar desse lado!

Obrigado!

Num ano, no mínimo, desafiante, o nosso Laboratório atingiu um importante objetivo.

Concluiu recentemente a transição da acreditação para o referencial NP EN ISO 17025:2018, a par da Extensão do âmbito da acreditação a mais ensaios nas áreas da Química (rotulagem e metais) e da Microbiologia (pesquisas e contagens em produtos, carcaças e esfregaços).

São, agora, em maior número, os ensaios sob Acreditação Flexível Global, a qual permite efetuar novos produtos/ensaios de forma célere, respondendo às solicitações dos clientes.

Toda a nossa Equipa está de Parabéns!

Consulte os documentos relacionados:
Anexo Técnico
Lista de Ensaios sob Acreditação Flexível
Certificado da Acreditação

A DIN, SA adquiriu recentemente um edifício e um terreno, junto à atual sede, que serão as novas instalações do Laboratório de Inovação e Desenvolvimento e de mais uma unidade fabril. O investimento será feito nos próximos dois anos e rondará os 2 milhões de euros.
Ao longo dos últimos anos, a DIN, SA tem apostado na expansão da empresa e na melhoria das condições laborais e de produção. Recentemente a empresa deu mais um passo importante para o crescimento da sua capacidade de produção e de resposta a um mercado cada vez mais exigente.
A DIN, SA adquiriu um edifício e um terreno que totalizam 8 mil metros quadrados, duplicando desta forma a área de terreno, em frente à sede da empresa. O espaço irá receber as novas instalações do Laboratório e ainda uma unidade de produção.
O projeto de ampliação das instalações será desenvolvido em 2021/2022, com um investimento que rondará os 2 milhões de euros, sendo que este incremento irá implicar, futuramente, um aumento dos postos de trabalho. A prioridade é a mudança do laboratório para as novas instalações, onde irá haver melhores condições para continuar a desenvolver o trabalho com a tecnologia e as técnicas mais avançadas, já utilizadas no Laboratório.
Até ao final do ano, a DIN, SA terminará um investimento que deu início a uma fase de crescimento com a reconversão e ampliação da unidade de fabrico de alimentos de iniciação para leitões, o que permitirá aumentar o rigor e a capacidade de resposta.
A DIN, SA assume, assim, uma posição de maior relevo no setor da nutrição animal.

Devido à pandemia de Covid-19, foram definidas e aplicadas às explorações clientes da DIN várias medidas com vista à proteção dessas explorações, bem como dos seus trabalhadores. Falamos, por exemplo, de um livro de visitas ou de instruções de como utilizar o material de proteção obrigatório.


A DIN criou 6 etapas simples, já aplicadas às explorações onde os seus técnicos estão presentes, e propõe a sua aplicação em todas as explorações animais:

1. Disponibilizar um Livro de Visitas

Essencial para o agendamento de visitas ou entregas na exploração sem sobreposição a outros serviços e de modo a que exista contacto com o mínimo de interlocutores possível.
Este livro pode ser disponibilizado, preferencialmente, em formato digital. No entanto, e no caso de não ser possível o registo de presença, deve ser realizado na zona de higienização.

2. Criar uma Zona de Mudança de Roupa

Permitir que os visitantes da exploração troquem a sua roupa numa zona reservada e que possibilite o depósito dessa roupa sem contacto com outras áreas. Poderá ser um balneário ou, em alternativa, um local de arrumação.

3. Garantir acesso a Zona de Higienização

É essencial que, além da mudança de roupa, seja feita uma boa higienização. Idealmente através de duche e desinfeção de algum material pessoal como acessórios essenciais ao desempenho da função ou, por exemplo, o telemóvel. Pode-se, em alternativa, disponibilizar produtos de base alcoólica para desinfeção das partes e acessórios mais expostos. O bloco de notas deverá passar por uma câmara UV.

4. Disponibilizar Material de Segurança Pessoal

Garantir que luvas, máscaras, fatos de proteção individual, touca e protetores de calçado são disponibilizados aos visitantes, assegurando que a visita à exploração é realizada em total segurança. A roupa deixada na zona de mudança deverá ser trocada pela roupa de exploração: botas e fato de macaco. Após a visita, este material deve ser colocado num saco de plástico, dentro de um contentor de lixo próprio. Após a visita, este material deve ser colocado num saco de plástico, dentro de um contentor de lixo próprio.

5. Realizar a visita garantindo o cumprimento de todas as Medidas de Segurança

Já dentro da zona limpa da exploração, é preciso ter mais presente do que nunca que, sempre que se acede a um pavilhão, o visitante deve passar no pedilúvio e desinfetar as mãos com solução alcoólica. Deverá também existir um calçado exclusivo para cada pavilhão.

6. Utilizar a vedação exterior como proteção

É importante que a exploração mantenha o seu portão fechado e que este seja aberto apenas após confirmação telefónica (disponibilizando, por exemplo, o número no portão).
No caso das descargas, por exemplo, o carro deverá passar por um rodiluivio sendo que o condutor terá também de proceder às medidas implementadas de vestuário e higienização.
Durante a descarga, a palete deverá ser pulverizada com desinfetante antes de ser levada para o interior da exploração.
Além destas indicações, há outras que deverão ser aplicadas, por exemplo, nas zonas comuns das explorações, como são os locais de pausa ou refeição. A DIN encontra-se disponível para ajudar as explorações a implementar corretamente estas medidas, por forma a garantir a segurança das equipas e dos animais. Com este plano de contingência, é possível assegurar a tão necessária continuidade dos negócios.




Confrontada com o impedimento da realização presencial de eventos e formações, a DIN utilizou as plataformas digitais para se aproximar de clientes nacionais e estrangeiros através de um webinar sobre Stress Térmico (Aves, Suínos e Ruminantes).

Este primeiro webinar contou com a participação de dezenas de pessoas, na sua maioria clientes da DIN. Falamos de engenheiros zootécnicos, engenheiros de produção animal, comerciais, médicos veterinários e produtores, que, através deste evento online, ficaram a conhecer os produtos disponibilizados pela DIN para ajudar os animais a manter as suas performances durante a época de calor.

O webinar foi dividido em três áreas específicas – Avicultura, Ruminantes e Suinicultura – sendo que, para cada uma delas, existe uma gama de produtos (Thermo®) destinados à gestão do stress térmico. “O stress térmico tem impacto negativo em toda a produção e a diminuição das suas consequências é conseguida através da aplicação de várias medidas, que juntas têm um efeito sinergético, beneficiando-se os resultados zootécnicos”, explica a DIN, empresa que opera na área da nutrição animal há mais de 30 anos.

Nuno Guedes e José Silvestre, ambos da DIN, e os brasileiros William Dick e Luciano Stingelin foram alguns dos oradores desta primeira edição do webinar, a qual permitiu uma aproximação, ainda que virtual, aos clientes e mais um momento de formação e partilha, que tanto caracteriza a DIN. Em tempo de pandemia de covid-19 em que é imposto distanciamento social, este tipo de evento facilita a aproximação, não só aos clientes portugueses, mas também aos muitos clientes internacionais.

Veja, ou reveja, o webinar dedicado a cada espécie nestas publicações na nossa página do Facebook:

https://www.facebook.com/watch/?v=1431140053756243
https://www.facebook.com/watch/?v=2622529624680948
https://www.facebook.com/watch/?v=722085995217636

Num momento difícil que atravessamos, a DIN continua a apoiar associações e instituições de solidariedade social. A DIN – Desenvolvimento e Inovação Nutricional, com sede em Santa Comba Dão, ofereceu aos Bombeiros Voluntários de Santa Comba Dão e a instituições do concelho equipamento de proteção individual.

Centenas de fatos descartáveis foram entregues à corporação santacombadense e à Câmara Municipal que, por sua vez, os distribuiu por instituições particulares de solidariedade social do concelho.

De acordo com a direção da empresa, a oferta teve como objetivo apoiar bombeiros e instituições no combate à pandemia de covid-19. “Entendemos que a empresa deve desenvolver ações de cariz social, por isso, decidimos fazer a entrega numa altura em que este equipamento era, e continua a ser, imprescindível. Não podíamos ficar indiferentes ao que está a acontecer e às necessidades dos bombeiros e das instituições beneficiárias”, sustentou.

Além desta ação, a DIN tem vindo também a ajudar a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Viseu, nomeadamente a valência localizada em Vila Pouca, no concelho de Santa Comba Dão.

A empresa, que desenvolve a sua atividade há mais de 30 anos no setor da nutrição animal, tem também realizado parcerias com outras entidades, como clubes de futebol, escolas e associações.

Caros amigos,
Há uns dias que vivemos uma situação inédita e imprevisível devido à propagação do novo coronavírus Covid-19 no mundo e, desde o início desta crise sanitária, a nossa prioridade tem sido a proteção dos colaboradores, clientes e as famílias.

As medidas adotadas nos últimos dias, por diferentes governos, convergem e consistem em confinar as pessoas em casa para conter a propagação do vírus. As escolas foram fechadas primeiro, depois os locais públicos, como restaurantes, bares, cinemas, estádios, locais de culto. A partir d´agora, são todos os locais públicos “não essenciais”.
A alimentação das populações é obviamente estratégica e essencial.. Como tal, o nosso setor, que faz parte da cadeia alimentar, deve continuar a produzir.
Face à amplitude desta epidemia, decidimos implementar medidas, respeitando os nossos valores e adaptadas à evolução da situação, que visam essencialmente a proteção das pessoas e a manutenção da nossa laboração para que os nossos clientes também possam manter a sua atividade.
Temos colaboradores em teletrabalho, outros a trabalhar na DIN, porque o nosso sistema produtivo assim o exige, mas em turnos desfasados nas fábricas, no laboratório e nos serviços administrativos. As deslocações dos nossos técnicos são reduzidas ao máximo, assegurando apenas as necessidades de força maior, as reuniões passam a ser por teleconferência e vamos criar, no nosso site, espaços de informação. Pretendemos continuar junto dos nossos clientes mantendo as nossas atividades de produção, entregas, serviços analíticos e apoio técnico comercial.
Nestes tempos difíceis apelamos à vossa serenidade: as fábricas, o laboratório e a distribuição da DIN estão a trabalhar. Queremos também agradecer a todos colegas, pelo seu compromisso, e aos clientes a paciência por alguma coisa que corra menos bem.
Se fomos tão reativos na implementação de todas estas medidas de emergência, acreditamos que vamos continuar a apoiar os nossos clientes e por isso queremos tranquilizar-vos: tudo vamos fazer para que os produtos cheguem às vossas empresas.
E por isso que gostaríamos de agradecer a todos os que continuam no seu posto de trabalho, nas fábricas e nas explorações, porque este esforço é fundamental para continuarmos a alimentar a população em geral e a garantir a continuidade das nossas atividades.
Agradecemos a vossa compreensão, resiliência e solidariedade nestes dias e nas próximas semanas até que esta crise sanitária esteja ultrapassada.

A todos um grande Obrigado. Cuide de si, cuide dos outros.

Rui Branquinho
João Almeida

ver documento completo

O Laboratório de Investigação e Desenvolvimento (LID) da DIN possui uma tecnologia que permite analisar amostras de alimentos para animais e géneros alimentícios e obter os resultados em tempo real. A tecnologia de espectroscopia no infravermelho próximo, ou NIR (Near-Infrared Spectroscopy, na sigla em inglês), é uma das mais versáteis e promissoras ferramentas destes setores.

A DIN – Desenvolvimento e Inovação Nutricional, com sede em Santa Comba Dão, adquiriu esta tecnologia em 2014, dotando, assim, o laboratório de um equipamento que traz múltiplas vantagens. Desde logo, é uma técnica não destrutiva, pelo que a amostra mantém-se intacta, não utiliza produtos químicos e consumíveis, a leitura é simples e rápida e permite analisar diversos parâmetros em simultâneo.

Os clientes poderão ter também o seu próprio NIR, sendo que as calibrações instaladas são fornecidas pelo LID. As matrizes calibradas correspondem às necessidades de cada cliente, seja no setor da alimentação humana ou no setor da alimentação animal. “No setor animal são disponibilizadas calibrações para matérias-primas, produto acabado e silagens. No setor alimentar está disponível a análise para carnes e produtos cárneos, nomeadamente carnes frescas e produtos transformados”, especifica o LID. A DIN apresenta um vasto leque de matrizes calibradas para os dois setores.

O cliente é devidamente acompanhado durante todo o processo, podendo requerer ao laboratório, sempre que necessário, a implementação de novas calibrações para os seus produtos. “A opção por esta solução de leitura em fábrica, ao fornecer resultados em tempo real, apresenta características únicas que contribuem para a melhoria da qualidade do processo e se traduzem em poupanças efetivas”, explica o LID. Os clientes poderão ainda fazer um controlo na receção das matérias-primas, otimizando a sua incorporação na dieta dos animais e avaliando as características nutricionais. Além disso, é possível fazer um controlo do processo de fabrico através da verificação do cumprimento da formulação.

Caso o cliente já tenha adquirido outro equipamento de análise, as calibrações disponibilizadas pelo LID poderão ser padronizadas de forma a tornarem-se compatíveis com o equipamento em causa e o cliente possa usufruir dos serviços do LID.

A aplicação da tecnologia NIR está em constante evolução, quer no sentido de adequar novos parâmetros às necessidades do cliente, quer no sentido de apostar em novos parâmetros que favoreçam a melhoria da qualidade dos seus produtos e processos. A análise via NIR de micotoxinas e aminoácidos são um dos exemplos da inovação da técnica aplicada ao setor animal.

O LID efetua ensaios químicos e microbiológicos em alimentos para animais e produtos alimentares para consumo humano e está dotado de equipamentos de vanguarda e alta tecnologia. O LID tem um vasto leque de clientes em todo o país.

A IACA – Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais – celebra este ano os seus 50 Anos de atividade, cujas comemorações terão início no mês de outubro.

A DIN,SA presta uma homenagem a este meio século de existência cuja contribuição para a evolução da Indústria da Alimentação Animal em Portugal é inquestionável.

A DIN, SA tornou-se associada da IACA em outubro de 1994 enquanto ainda se denominava INVE – Aditivos Alimentares, S.A., tendo participado ativamente nas suas atividades pela pessoa do Sr. António Amadeu Prata. Posteriormente a DIN foi membro da Direção da SPM/SPMA nos mandatos de 2009-2011 e 2012-2014.

Uma relação de 25 anos que se traduz em confiança e reconhecimento.

E o que reconhecemos no trabalho desenvolvido pela IACA ao longo dos seus 50 anos de existência?

O valor de uma instituição que:

  • nos representa, que nos dá voz junto das várias instituições nacionais e europeias defendendo os interesses do nosso sector.
  • detém a capacidade de unir os seus associados e de promover o debate e a cooperação entre todos. A união faz a força e é de união que precisamos sobretudo no tempo presente que nos defronta permanentemente com desafios de diversa natureza.
  • estabelece relações sinérgicas entre o sector e os organismos públicos, destacando-se o Protocolo QUALIACA. Este protocolo de colaboração celebrado entre a IACA e a DGAV constitui um instrumento de importância relevante na garantia da qualidade e segurança alimentar na indústria da alimentação animal.
  • promove a atualização técnica dos seus associados numa área tão vasta e em permanente evolução – a nutrição animal. A Revista Alimentação Animal e as Jornadas de Alimentação Animal desempenham um papel crucial nesta área. O conhecimento permite-nos fazer mais e melhor.

É nossa convicção que o trabalho desenvolvido pela IACA, ao longo dos seus 50 anos de existência, constituiu um fator chave para o desenvolvimento, fortalecimento e dignificação dum sector tão importante – a alimentação animal.

Muitos Parabéns!

A DIN – Desenvolvimento e Inovação Nutricional, vai participar pela primeira vez na AgroSemana – Feira Agrícola do Norte, na Póvoa de Varzim. O certame, dedicado aos produtores de leite, irá decorrer entre os dias 29 de agosto e 1 de setembro, no espaço Agros.
Esta estreia da DIN na AgroSemana tem como objetivo consolidar a presença da empresa no Norte do país e reforçar a relação com o distribuidor Netrural. No seu stand, a DIN vai dar destaque aos produtos Deltavit e proporcionar momentos de diversão com uma mesa de matraquilhos diferente, especialmente pintada para a DIN.
Desde a sua criação, a DIN é parceira dos produtores de leite, acompanhando as explorações e prestando serviços de assistência técnica e nutricional. A DIN fabrica e comercializa pré-misturas e alimentos compostos para animais, oferendo aos clientes as melhores soluções nutricionais.
“Pretendemos que os nossos produtos e serviços sejam um contributo para a garantia do nível de excelência requerido para alimentos tão importantes na mesa dos portugueses – o leite e os seus derivados”, defende a direção da DIN.
Esta será a primeira de muitas participações da DIN nesta feira, tendo em conta o grande número de produtores que a visitam. “A participação na AgroSemana é uma aposta da DIN para reforçar a parceria com a Netrural, mas é também mais uma oportunidade para nos darmos a conhecer e mostrar os nossos produtos e serviços”, sublinha a direção.
A AgroSemana surgiu em 2013 e é uma organização do Grupo Agros. Foi criada com “o objetivo ambicioso de realizar um grande evento de caráter técnico-comercial, exclusivamente dirigido às cooperativas associadas e aos produtores de leite Agros”.